Lúcio diz ao STF que Calero é “conhecido acusador de falsos crimes”

O deputado Lúcio Vieira Lima (MDB-BA) recorreu ao ministro Edson Fachin, nesta quarta-feira (14), contra a abertura de inquérito para investigá-lo pelo crime de ameaça, acusação endereçada a ele pelo ex-ministro da Cultura Marcelo Calero. As informações são da coluna Expresso, da revista Época.

A ameaça, segundo Calero denunciou ao Ministério Público Federal, ocorreu em meio à polêmica envolvendo um empreendimento imobiliário em Salvador que resultou na queda de Geddel Vieira Lima, irmão de Lúcio, da Secretaria-Geral da Presidência no final de 2016.

No recurso enviado a Fachin, a defesa de Lúcio afirmou que Calero é “conhecido acusador de falsos crimes” e sugere que o ex-ministro da Cultura explora o caso com fins políticos.

“Afastado dos holofotes que aparenta tão apaixonadamente apreciar, data maxima venia, no intuito de recuperar os poucos minutos de fama que angariou no passado (sempre às custas da honra alheia) e, dessa forma, tentar fugir da triste irrelevância/anonimato a que melindrosamente ficou relegado, mormente antevendo o pleito eleitoral que ocorrerá no presente ano, [Calero] distorce tão cruelmente a realidade dos fatos (a seu bel prazer).”

O advogado do deputado do MDB baiano alegou ainda que Calero levou um ano para apresentar a denúncia e, portanto, está configurada a extinção da punibilidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *